Para melhor atender os seus pacientes, a equipe do Hospital do Coração é responsável por 3 serviços de cardiologia: Hospital Vita Batel, Hospital Vita Curitiba e Hospital do Coração do Alto da XV, sendo que este último realiza apenas atendimentos eletivos em horário comercial.

A equipe do Hospital do Coração fica à sua disposição para realizar avaliações cardiológicas, bem como exames complementares de baixa e alta complexidade, procedimentos e cirurgias cardíacas, sempre prezando pela ética profissional. Veja abaixo os 3 locais de atendimento da equipe do Hospital do Coração de Curitiba:

1- Hospital do Coração (unidade Batel) - ATENDIMENTO 24 HORAS 

Fones: 3021 3344/3883 8482.

*Endereço para consultas, exames de alta e baixa complexidade, procedimentos e cirurgias cardíacas: rua Alferes Ângelo Sampaio, 1896, Batel, Curitiba, Paraná.

*Endereço para atendimentos emergenciais 24 horas: rua Vicente Machado, 1073, Batel, Curitiba, Paraná.

2- Hospital do Coração  (unidade Alto da XV)- ATENDIMENTOS ELETIVOS EM HORÁRIO COMERCIAL

Fone: 3021 3344.

*Endereço: rua Dias da Rocha Filho, 239, Alto da XV, Curitiba, Paraná.

*Esta unidade realiza consultas e exames de baixa complexidade em horário comercial.

3- Hospital Vita Curitiba - ATENDIMENTO 24 HORAS

Fone: 3315 1900/3315 1815 (cardiologia).

*Endereço: Rodovia BR 116, 4047, Atuba, Curitiba, Paraná. 

*Esta unidade realiza consultas eletivas e emergenciais, exames de baixa e alta complexidade, procedimentos e cirurgias cardíacas. 


 

 

O tabu do ovo e risco cardíaco

Terça, 07 Maio 2013 16:36

A boa prática da medicina moderna orienta que as condutas médicas sejam baseadas em evidencias, mas muitas vezes os estudos científicos não encontram resultados politicamente corretos. Por muitos anos o consumo de ovos de galinha (210 mg de colesterol) foi banido da dieta dos pacientes com colesterol elevado decorrente da recomendação da diretriz americana  que orientava o consumo máximo de 300 mg de colesterol por dia. Porém a associação entre o ovo e o risco cardiovascular era incerta.

Em Janeiro de 2013, foi publicado uma metanálise com objetivo de avaliar a associação entre o consumo de ovo versus  o risco cardiovascular  e AVC .

Foram selecionados artigos publicados no PUBMED até Junho de 2012, onde 8 estudos de coorte prospectivos em que o consumo de ovo foi avaliado a partir de questionários e comparados com o risco de desenvolver eventos coronarianos ou AVC em um seguimento de 10 a 20 anos.

Não houve associação  entre o consumo de mais de um ovo por dia e o risco de desenvolver doença coronariana ou AVC. No entanto, na análise de subgrupos , os pacientes diabéticos  com consumo maior de ovos comparados com os que consumiam menos ovos, demonstraram um maior risco de doença coronariana Risco relativo 1,5) e menor risco de AVC hemorrágico (RR 0,8). Porém é importante considerar os resultados dos diabéticos com ressalva, pois foi uma análise de subgrupos.

Estes resultados podem ser decorrentes da capacidade do ovo aumentar a concentração plasmática de HDL que é um importante protetor cardiovascular.Estes dados são importantes, pois o ovo é barato, e pode ser importante fonte de alimento para pacientes de baixa renda.

Apesar da nossa cultura médica ser muito influenciada pelos Americanos, atualmente, guidelines de recomendação de dieta saudável de vários países como Nepal, Tailândia, e África do Sul recomendam o consumo de ovo diariamente ou regularmente.

Fonte: CardioPapers Blog. 

“Mestre” ou “professor” é como a maioria dos cardiologistas curitibanos se refere ao médico Paulo Franco de Oliveira*, fundador do Hospital do Coração de Curitiba. Ele desempenhou importantes papéis na evolução da Cardiologia paranaense: foi professor na Universidade Federal do Paraná durante quase 40 anos, fez o primeiro cateterismo do Sul do País, inaugurou o primeiro serviço de emergência cardiológica de Curitiba e até trabalhou com Euryclides de Jesus Zerbini, responsável pelo primeiro transplante de coração no Brasil.

Nesta entrevista, Paulo Franco conta um pouco de sua trajetória:

REVISTA VITAL – Quando o sr. começou a lecionar?

Paulo Franco – Comecei a dar aulas em 1955, logo após me formar, e continuei até 1994, de modo que todos os estudantes de Medicina da Universidade Federal do Paraná desse período passaram por mim. Além disso, outras faculdades faziam pós-graduação no Hospital de Clínicas (da universidade) e assim também conheci vários outros alunos.

REVISTA VITAL - Eram raros os cardiologistas em Curitiba, na época?

PF – Quando me formei, em 1954, eram poucos, e os mais conhecidos eram Gastão da Cunha, Arnaldo Moura e Eugênio Lopes. O Dr. Gastão era professor de Clínica Médica e Cardiologia e foi um grande incentivador para mim, convidandome a trabalhar com ele e permanecer em Curitiba. Em 1957, nós criamos o primeiro serviço de cateterismo da cidade, e nesse ano fui o responsável pelo primeiro cataterismo realizado no Sul do Brasil, na Santa Casa de Misericórdia de Curitiba. O paciente era um menino, e nessa ocasião a cirurgia foi feita pelo Gastão. Eu voltei a tratar esse paciente quarenta anos depois, em 1997, fiz um cateterismo novamente, e dessa vez o cirurgião foi o Luiz Fernando Kubrusly, hoje diretor médico do Hospital VITA Batel.

REVISTA VITAL – A Cardiologia já tinha o destaque que tem hoje?

PF – Sim, devido à grande incidência de doenças cardíacas. Na época era a principal causa de óbitos, devido à falta de recursos para tratamento. A doença que mais matava era o infarto do miocárdio, com uma mortalidade de 40%. Não existia UTI e o tratamento era feito em domicílio.

Não fazia diferença trazer o paciente para o hospital, porque havia poucos remédios e não existiam recursos para abrir o tórax e operar o coração. O infarto era tratado com repouso, recomendava-se que o paciente não fizesse o mínimo esforço. Só em 1962 é que se começou a utilizar circulação extracorpórea, o que permitiu abrir o tórax e tratar cirurgicamente os infartos.

REVISTA VITAL - Como surgiu o Hospital do Coração?

PF – Em 1972, eu e alguns alunos criamos a primeira UTI cardiológica de Curitiba no Hospital Santa Cruz, com quatro leitos. Mas um ano e meio depois o hospital foi vendido e nós alugamos uma casa, na rua Cel. Dulcídio. Instalamos quatro leitos e fizemos uma inovação na cidade: criamos um serviço de atendimento cardiológico em domicílio, com duas ambulâncias. Esse serviço foi tão importante, ganhou tanto destaque, que passamos a atender pacientes fora de Curitiba, e até fora do estado, em cidades como Paranaguá, Ponta Grossa, Joinville, Guarapuava, Mafra e outras. O grupo foi crescendo e hoje somos 23 médicos no Hospital do Coração, inclusive o meu filho, Augusto Franco, que também escolheu a Cardiologia.

REVISTA VITAL – Nesses 50 anos, o perfil das doenças coronarianas mudou?

PF – Devido a uma maior prevenção, a incidência das doenças mudou um pouco, pode-se até agradecer à imprensa leiga nesse aspecto, pela divulgação das informações sobre alimentação, tabagismo e atividade física. A prevenção melhorou muito. Antigamente não se tinha idéia do papel do colesterol nos problemas cardíacos e não se sabia nada sobre os malefícios do cigarro (a gente dava aula fumando...).Nos anos 1950, 40% das vítimas de infarto agudo morriam; hoje, com as UTIs, esse número caiu para 15%, ou menos.Agora, em uma hora conseguimos desbloquear uma coronária, tirar o paciente do infarto e ele já quer voltar para casa. Antigamente, o tempo de internação era um mês.

Fonte: Revista VITAL - Publicação da Rede Vita de Hospitais.

Jornalista responsável: João Carlos de Brito.

 *O Dr. Paulo Franco de Oliveira faleceu no dia 10 de Novembro de 2015, aos 86 anos de idade.

Corpo Clínico

Domingo, 24 Fevereiro 2013 11:32

Corpo Clínico Completo (Nome - inscrição no Conselho Regional de Medicina - especialidade - área de atuação):

Alessandro Kraemer  CRM 15904 - Cardiologia - Consultório / Exames (Hemodinâmica).

Alexandre Manoel VarelaCRM 10113 - Cardiologia - Consultório / Exames (Hemodinâmica).

Alexandre Voigt CRM 27270 - Cardiologia - Exames.

André Dergint CRM 14092 - Cirurgia Cardiovascular - Exames.

Andréa Fialho CRM 20061 - Cardiologia - Exames.

Anny Lys Werneck Brasil CRM 15918 - Cardiologia - Consultório.

Antonio Luiz Seleme CRM 5663 - Cardiologia.

Augusto Franco de Oliveira CRM 12863 - Cardiologia - Consultório / Exames (Hemodinâmica).

Aurimar Neubauer CRM 11012 - Cardiologia - Consultório / Exames.

Bernardo Rzeznik  CRM 1130 - Cardiologia - Consultório.

Carlos Gustavo  M.  Schimidt CRM 17217 - Infectologista - Consultório.

Fabiana Cristina Donadon CRM 24838 - Cardiologia- Exames.

Fabio Rocha Farias CRM 15791 - Cardiologia - Consultório.

Geraldo Henrique Scheffer CRM 7254 - Cardiologia - Consultório.

Giovani Shen Scopel CRM 27254 - Cardiologia - Exames.

Jacques Cassidori Couto  CRM 20022 - Cardiologia.

Jean Marcelo Ferreira da SilvaCRM 18179 - Cardiologia - Exames.

Jeane Souza A. Maranhão CRM 5250 - Cardiologia - Exames.

João Carlos de M. Bürger  CRM 4681 - Cardiologia - Consultório.

João Vicente Vítola CRM 15739 - Cardiologia.

José Eduardo R. Marquesini CRM 21429 - Cardiologia - Consultório.

Juedri Zarabia SuarezCRM 25781 - Cardiologia - Exames.

Laércio Furlan CRM 2657 - Cardiologia.

Lise de Oliveira Bocchino CRM 9936 - Cardiologia - Exames.

Luciana do Nascimento Moraes CRM 17225 - Cardiologia - Consultório / Exames.

Luiz Tavares Lessa CRM 3806 - Cardiologia - Consultório / Exames (Hemodinâmica).

Marco Aurélio Bartsch CRM 10185 - Cardiologia - Consultório / Exames.

Marco Rodrigo Saber CRM 18016 - Cardiologia - Consultório / Exames.

Maria Carolina C. Correia CRM 14703 - Cardiologia - Consultório.

Maria Helena VarellaCRM 16673 - Cardiologia - Consultório.

Mário Sérgio Júlio Cerci CRM 4630 - Cardiologia - Consultório.

Mary Lúcia Boeing CRM 12390 - Cardiologia - Exames.

Maurício Tamura S. do Brasil CRM 14088 - Cardiologia - Consultório / Exames.

Mohamad Kamal Sleiman CRM 24887 - Cardiologia - Consultório / Exames.

Nadya Rocumbacky Alves da Costa CRM 24486 - Cardiologia - Consultório.

Renato Maruiti CRM 14076 - Cardiologia.

Ronaldo Barroso  Chaves CRM27013 Cardiologia.

Rubens Drummond de Carvalho CRM 2852 - Cardiologia - Consultório / Exames.

Rubens M. D. Stelmachuk CRM 17247 - Cardiologia - Exames.

Sérgio Paulo Campos Lisboa CRM 24921 - Cardiologia - Exames.

Tatiane Vítola Rohn CRM 20844 - Cardiologia - Consultório / Exames.

Tufi Dippe Júnior CRM 13700 - Cardiologia - Exames.

 

Diretoria

Domingo, 24 Fevereiro 2013 11:33

 

Dr. Augusto Franco de Oliveira

Diretor Geral

 

 

 

 

Dr. Geraldo Henrique Scheffer

Diretor Financeiro

     

 

 

 

Dr. José Eduardo Marquesini

Diretor Técnico e Clínico 

     

 

 

 

Danielle A. Cordeiro

Gerente Administrativo e Financeiro

     

 

 

 

Dr. Luiz Fernando Kubrusly

Diretor Clínico do Hospital Vita Batel

 

Serviço de Hemodinâmica

Segunda, 24 Outubro 2011 17:09

Hospital do Coração adquire nova hemodinâmica 

Para você e sua família

Segunda, 24 Outubro 2011 17:09

Cardiologia, saúde e bem-estar

Sobre o Hospital do Coração de Curitiba

Quinta, 21 Fevereiro 2013 23:24

O Hospital do Coração de Curitiba em novembro de 2014 completará 40 anos da sua implantação, tendo cumprido as metas estabelecidas pelos seus 7 médicos fundadores. Esse grupo inicial de cardiologistas altamente especializados, em sistema de plantão permanente, com uma UTI (unidade de terapia específica) específica para doenças do coração e entidades afins, contando com ambulâncias equipadas com aparelhagem para diagnóstico, assistência e transporte seguro de pacientes, montaram um serviço pioneiro no Estado do Paraná, reunindo condições para o atendimento de urgências e emergências cardiológicas, em qualquer local da cidade e mesmo fora de Curitiba.

O grupo inicial constituído de médicos oriundos do magistério ou de egressos da residência médica da UFPR (Universidade Federal do Paraná), manteve, desde o seu início, um sistema de acadêmicos estagiários.Desse grupo de acadêmicos, alguns passaram a integrar o quadro clínico do Hospital, atingindo atualmente o total de 23 cardiologistas associados, além de vários contratados para a execução de procedimentos diagnósticos ou terapêuticos mais especializados.

Na década de 90 as instalações do Hospital na casa adaptada na rua Coronel Dulcídio tornaram-se insuficientes para manter a qualidade de atendimento que o grupo de médicos se propunha a prestar.Atendendo ao convite da tradicional instituição Clínica de Fraturas e Ortopedia XV, que pretendia transformar-se em um Hospital de Emergências Ortopédicas, Neurológicas e Cardiológicas, assumiu o Hospital do Coração de Curitiba a área cardiovascular do pretendido complexo hospitalar.

No período de 13 anos foram alcançadas as pretendidas e necessárias expansão física e funcional: número de leitos da UTI, atendimentos ambulatoriais, exames complementares, inclusive com a instalação de Hemodinâmica e Angiografia Digital que passou a possibilitar métodos diagnósticos mais completos e procedimentos terapêuticos através de cateter nas doenças coronárias, valvulares e vasculares (angioplastias, implante de endopróteses, embolizações, eletrofisiologia, ablação de arritmias, entre outros).

Ao fim desse período, ao completar o Hospital do Coração de Curitiba 35 anos de existência e, não tendo sido cumprida a promessa de um Hospital de Emergências XV, foi aceito o convite para uma nova parceria, então com o Grupo Hospitalar Vita. A partir de junho de 2009 o Hospital do Coração de Curitiba passou a ser responsável por todo atendimento cardiológico dos pacientes do Hospital Vita Batel (Hospital do Coração Vita Batel), execução de todos os exames complementares em cardiologia, atendimento dos pacientes da Unidade de Terapia Intensiva e pacientes em consultórios de cardiologistas anexos ao Hospital. A entrada no Hospital do Coração Vita Batel é realizada pela rua Alferes Ângelo Sampaio, número 1896. 

Fica satisfeita a expectativa inicial dos fundadores e demais cardiologistas agregados do Hospital do Coração de Curitiba. A nova parceria proporciona área física suficiente, corpo clínico e suporte administrativo capacitados, além de já ter a instituição um serviço de Hemodinâmica e Angiografia Digital com os mesmos médicos operadores anteriormente ligados ao Hospital do Coração de Curitiba. Conseguimos com a nova parceria passar da casa adaptada na então "bucólica" rua Coronel Dulcídio para uma instituição hospitalar que reúne condições de promover a prevenção primária, completar toda investigação clínica e executar os procedimentos terapêuticos com, sobretudo, ética, e, quando realmente necessários.

Com a finalidade de manter o segmento aos clientes do Hospital do Coração de Curitiba, residentes no Bairro Alto e arredores podem ser atendidos no Hospital do Coração Vita Curitiba, localizado dentro do Hospital Vita Curitiba, com consultórios, Teste Ergométrico, Ecocardiograma, Ecodoppler Vascular, MAPA, MRPA, Holter e ECG (eletrocardiograma). O Hospital do Coração Vita Curitiba atende no seguinte endereço: Rodovia BR 116, Km 396, número 4021 (Bairro Alto) - acesso através da Medicina Diagnóstica  (telefone 3021-3344).

 

O teste de esforço (TE) ou teste ergométrico é o registro da atividade elétrica do coração durante o esforço físico. Além dos achados do eletrocardiograma durante o esforço, este teste permite avaliar também o comportamento da pressão arterial, os sintomas referidos pelo paciente e a sua aptidão física.

Em relação as doenças cardiovasculares, o TE é utilizado para o diagnóstico, avaliação do tratamento ou estimativa de complicações futuras (valor prognóstico). Na grande maioria dos casos, o TE é realizado com esteira rolante, no entanto, a bicicleta ergométrica também poderá ser utilizada. O TE pode ser parte integrante de outros exames, como a cintilografia de perfusão  miocárdica, o ecocardiograma de estresse e a ergoespirometria (teste cardiopulmonar).

Orientações antes do exame

- O paciente deverá realizar uma refeição leve no mínimo duas horas antes do exame. Deverá comparecer ao local com uma roupa apropriada para a prática de exercício físico (short , moleton , tênis , etc.). Mulheres deverão usar sutiã.Nos homens, poderá ser necessária a raspagem dos pelos do tórax (tricotomia) para evitar interferências no traçado eletrocardiográfico.

- Os medicamentos de uso contínuo poderão ou não ser suspensos de acordo com a finalidade do exame, ou seja, se este é indicado para o diagnóstico ou para avaliação do tratamento .Em caso de dúvida, consulte o médico solicitante do exame.Caso seja necessária a suspensão dos medicamentos, o tempo desta suspensão poderá variar de 1 até 30 dias, dependendo do medicamento. O ideal é que o médico solicitante, e não a secretária do setor de exames, oriente o paciente neste aspecto.

Como é feito?

- O TE deverá ser realizado em um local apropriado para o exame, com a presença de um médico treinado, equipamento adequado e material de emergência, incluindo equipamento para desfibrilação elétrica em caso de parada cardiorrespiratória.

- O TE consiste em submeter o paciente a um esforço físico crescente, através da utilização de um ergômetro que poderá ser uma esteira (o equipamento mais comum) ou uma bicicleta ergométrica.Utilizam-se protocolos (programas que determinam a forma de acelerar e/ou inclinar a esteira), de acordo com  as características clínicas do paciente e a finalidade do exame.

- Antes de iniciar o TE realiza-se um eletrocardiograma de repouso e a medida da pressão arterial. A medida que o paciente realiza o esforço físico, é obtido um registro eletrocardiográfico contínuo (gravado no computador), além de medições periódicas da pressão arterial por um auxiliar.

- Periodicamente  será perguntado ao paciente a respeito de seus sintomas ao esforço, como cansaço (esse deverá ser quantificado), falta de ar, dor no peito, fadiga nas pernas, tonturas, sensação de desmaio, etc. Após o término do esforço, realiza-se na recuperação novos eletrocardiogramas e medidas adicionais da pressão arterial.

- Geralmente o objetivo do TE é fazer com que o paciente atinja pelo menos 85% da frequência cardíaca máxima (FCM). A FCM é obtida pela fórmula 220 - a idade do paciente.Por exemplo: um paciente de 40 anos terá uma FCM teórica de 180 (resultado de 220-40) batimentos por minuto (bpm). Durante o TE este paciente deverá atingir cerca de 153 bpm, ou seja , 85% de sua FCM (180 bpm).

- O exame ainda poderá  ser interrompido pela presença de exaustão física,  anormalidades graves do eletrocardiograma, aparecimento de angina do peito limitante, elevação excessiva da pressão arterial ou queda desta durante o esforço, ou ainda, por  outras situações indicativas de risco associado ao esforço físico.

Indicações

- Diagnóstico de doença arterial coronariana (comprometimento das artérias do coração por placas de gordura ou ateromas), em pessoas com dor torácica ou não, desde que haja uma suspeita da doença.É importante salientar que o TE apresenta limitações para o diagnóstico desta doença, pois a sensibilidade (capacidade do TE em diagnosticar a doença) e a especificidade (correlação de um TE alterado com a presença real da doença) são inferiores a 70% e 80%, respectivamente. Logo, existem casos de TE falso-positivos (há alteração durante o TE, mas não há uma doença real) e falso-negativos (o TE é normal, mas o paciente apresenta a doença).

-  Avaliação do risco de complicações futuras em pessoas com doença arterial coronariana já conhecida.

-  Após o infarto  do miocárdio com o objetivo de avaliar a condição cardíaca do paciente para o retorno de suas atividades físicas.

-  Em pessoas assintomáticas que sejam diabéticas, que desejem iniciar um exercício físico vigoroso, ou ainda, que tenham uma profissão que coloque outras pessoas em risco (exemplo: motoristas e pilotos de avião).

-  Em pessoas assintomáticas que desejem realizar atividades físicas.

-  Em pessoas assintomáticas que desejem realizar exercícios físicos e que tenham fatores de risco para a doença arterial coronariana (tabagismo, anormalidades do colesterol, histórico familiar, etc.).

-  Avaliar a condição cardíaca de algumas pessoas com doenças das válvulas cardíacas.

- Avaliar a condição cardíaca de pacientes que serão submetidos ou que foram  submetidos a uma angioplastia coronariana  ou uma cirurgia de ponte de safena.

- Avaliar a condição cardíaca de pacientes com arritmias, distúrbios de condução elétrica do coração ou que tenham marcapasso artificial.

- Como parte integrante de outros exames como a cintilografia de perfusão miocárdica, ecocardiograma de estresse e ergoespirometria .

Riscos

Em geral, o TE é um exame muito seguro. Na população geral  a ocorrência de complicações graves (exemplo : infarto do miocárdio ou arritmias cardíacas de difícil controle) é de cerca de 0,05%, ou seja , uma complicação para cada 2.000 exames. O risco de morte é ainda menor:  uma em cada 10.000 exames (0,01%).

PARA MARCAR ESTE EXAME CLIQUE AQUI

Sobre o Hospital Vita Batel

Quinta, 21 Fevereiro 2013 23:25

Inaugurado em 20 de dezembro de 2004, o Hospital VITA Batel é um hospital de atendimento geral, de média e alta complexidade, com foco em cardiologia, traumato-ortopedia, neurocirurgia, cirurgia geral e terapia intensiva.

Possui uma estrutura de cinco andares com 89 leitos de internação, pronto atendimento e Unidade de Dor Torácica, consultórios médicos, Unidade de Terapia Intensiva geral e cardiológica, medicina diagnóstica e seis salas de cirurgia.

A excelência na realização de procedimentos de cirurgias bariátricas tornou o VITA Batel uma referência internacional. Hoje o hospital recebe pacientes de várias partes do mundo para realização de procedimentos de alta complexidade em diversas especialidades.

Em 2009 firmou uma aliança com o Hospital do Coração, unindo a experiência deste renomado grupo de cardiologistas à tecnologia, qualidade e inovação do VITA, resultando numa completa infraestrutura pronta para atender pacientes cardiopatas, não apenas em tratamentos cardiológicos, como nas diversas especialidades médicas.

Em 2009 o Hospital obteve a certificação nacional ONA (Organização Nacional de Acreditação) em nível pleno, e prepara-se para conquistar a acreditação em nível de excelência, desta forma tornando-se, assim como os demais hospitais do Grupo VITA, referência em qualidade e segurança assistencial.

Grupo VITA

A Rede VITA é a primeira rede de instituições privadas de saúde no Brasil não pertencente a fontes pagadoras (Planos de Saúde), formada principalmente por Hospitais gerais e de especialidade.

A Rede VITA conta com participação de investidores. Todas as suas unidades são sociedades anônimas, com títulos colocados no mercado e com metas desafiadoras de resultado econômico financeiro. Num setor como o da Saúde, no Brasil, onde historicamente a maioria dos serviços privados está ligada a grupos religiosos ou filantrópicos, este é um sinal de que o setor está amadurecendo e de que a Rede VITA é pioneira neste processo.

Toda a rede possui sistemas de atendimento e processos administrativos padronizados, apoiados em avançados recursos tecnológicos. Isso permite agilizar serviços, estabelecer eficientes métodos de controle de qualidade, racionalizar custos e, assim, viabilizar novos investimentos para oferecer o melhor atendimento aos clientes. Para a implantação da rede já foram investidos aproximadamente 31 milhões de dólares.

Com qualidade e eficiência nos serviços prestados, seus projetos obtiveram reconhecimento nacional.

 

Edson Santos

Presidente

 

 

 

 

 

 

Francisco Balestrin

Vice-Presidente Executivo

 

 

 

 

 

 

José Otávio Leme

Diretor Regional Curitiba

Exames online

Ecocardiograma

Avaliação da estrutura e função do coração através de ondas de ultrassom.

AGENDE ESTE EXAME

Ecodoppler Vascular - Artérias Renais

Avaliação das artérias renais através de ondas de ultrassom.Indicado para detectar estreitamentos por placas de gordura (ateromas) ou malformações.

AGENDE ESTE EXAME

Eletrocardiograma

Registro da atividade elétrica do coração em estado de repouso.

AGENDE ESTE EXAME

Holter (Eletrocardiografia Dinâmica)

Registro da atividade elétrica do coração por um período de 24 horas.

AGENDE ESTE EXAME

Ecodoppler Vascular - Artérias Carótidas e Vertebrais

Avaliação das artérias do pescoço através de ondas de ultrassom.Estima o risco cardíaco e detecta a presença de placas de gordura (ateromas).

AGENDE ESTE EXAME

Ecodoppler Vascular - Veias dos Membros Inferiores

Avaliação das veias dos membros inferiores através de ondas de ultrassom.Indicado para o diagnóstico de varizes e trombose venosa.

AGENDE ESTE EXAME

Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA)

Registro automático da pressão arterial durante um período de 24 horas.

AGENDE ESTE EXAME

Monitorização Residencial da Pressão Arterial (MRPA)

Registro da pressão arterial realizado pelo próprio paciente ou por outra pessoa treinada por um período mínimo de 4 dias, em casa ou no local de trabalho.

AGENDE ESTE EXAME

Ecodoppler Vascular - Artérias dos Membros Inferiores

Avaliação das artérias dos membros inferiores através de ondas de ultrassom.Indicado para detectar estreitamentos por placas de gordura (ateromas).

AGENDE ESTE EXAME

Ecodoppler Vascular - Outras modalidades

Avaliação de vasos sanguíneos (veias ou artérias) através de ondas de ultrassom.

AGENDE ESTE EXAME

Teste Ergométrico (Teste de Esforço)

Avalia o comportamento de variáveis cardiovasculares (atividade elétrica do coração, pressão arterial, entre outras) e sintomas durante um esforço progressivo.

AGENDE ESTE EXAME

Tilt Teste (Teste de Inclinação)

Avalia o comportamento do ritmo cardíaco e pressão arterial em resposta a variações da postura corporal.Indicado para o diagnóstico de síncope neuromediada, uma forma comum de desmaio.

AGENDE ESTE EXAME

  • Unidade 1
  • Unidade 2
  • Hemodinâmica

HCVT
Hospital do Coração Vita Batel
R. Alferes Ângelo Sampaio, 1896
Batel - Curitiba PR

Telefone: +55 41 3021-3344

CONHEÇA ESTA UNIDADE

HCVC
Hospital do Coração Vita Curitiba
Rodovia BR 116, Km 396, nº 40213
Bairro Alto - Curitiba PR

Telefone: +55 41 3315-1935

CONHEÇA ESTA UNIDADE

HCVC
Serviço de Hemodinâmica
R. Alferes Ângelo Sampaio, 1896
Batel - Curitiba PR

Telefone: +55 41 3021-3344

CONHEÇA ESTE SERVIÇO